You need Adobe Flash Playerplugin in order to correct visualize this content.
Serviçso Úteis
Actividade (ex: hotel, rent-a-car, restaurante):

Ilha:


Clique no mapa para aumentar

COMO CHEGAR À ILHA DO PICO
A Transportadora aérea regional “Sata-Air Açores”, efectua voos diários para esta ilha normalmente a partir dos aeroportos de Ponta Delgada e Lajes na Ilha Terceira, o tempo médio de voo a partir da Terceira é de 40 minutos e 60 minutos a partir de S. Miguel. Pode também utilizar o transporte marítimo, há ligações regulares a partir das ilhas do Faial (15 minutos) e S. Jorge (30 minutos de viagem). A duração das viagens depende da transportadora que utilizar. Apresentamos a duração de viagens da companhia que utiliza barcos mais rápidos. Informe-se no seu hotel, junto de uma agência de viagens ou nas companhias de transportes marítimos referenciadas neste guia.

SITUAÇÃO GEOGRÁFICA
Situada a 38º 30’ norte e 28º e 20’ Oeste, fica a 8,3 Km (4,5 milhas) da Ilha do Faial e a 20,4Km (11 milhas) de S. Jorge. Tem 447Km2 (172,6 milhas2), 42 Km (22,7 milhas) de comprimento e 15 Km (8 milhas) de largura.

DESCOBERTA E POVOAMENTO
A data do seu descobrimento não está definida. No entanto, sabe-se que em 1460 já era habitada, tendo o povoamento sido iniciado pela localidade das Lajes do Pico, o primeiro concelho da ilha.

TRANSPORTES
Pode alugar um carro, utilizar o serviço de táxi ou viajar em autocarros de transportes públicos que ligam as principais localidades desta ilha. Pode apanhar o autocarro na Madalena, (na Av. Machado Serpa), nas Lajes, (em frente ao Museu dos Baleeiros) em S. Roque (em frente ao antigo porto).

LOCAIS DE VISITA OBRIGATÓRIA

• Escalada ao Pico – com 2351 m de altitude, a maior elevação do território português é um desafio para quem com uma boa condição física, tem espírito de aventura. Do cume do Pico tem-se uma vista espectacular sobre as restantes ilhas do grupo Central. Para escalar o Pico, deve procurar a ajuda de guias especializados. Pode correr sérios riscos quem não conhece a zona. Informe-se junto das empresas que neste guia publicitam os seus serviços, bombeiros, ou no local onde estiver alojado.

• Museu do Vinho – conta-lhe a história do vinho nesta ilha.

• Adega Cooperativa – onde se produz o famoso verdelho tão apreciado pelos “Czars”. Recebe habitualmente os visitantes, oferecendo-lhe uma prova do VLQPRD “Lajido”, principal Ex-Libris do concelho.

• Arcos do Cachorro – uma formação rochosa com a configuração do focinho de um cão deu o nome a esta zona. O mar penetra pelos diversos túneis feitos pela erosão, fazendo efeitos interessantes. Também nesta zona, foi construída uma central eléctrica, que funciona com a energia resultante da força das ondas.

• Quinta das Rosas – parque florestal com espécies exóticas.

• Museu Industrial - situado em S. Roque do Pico, está instalado na antiga Fábrica das Armações Baleeiras, onde existem apetrechos utilizados na transformação da baleia em produtos como a farinha e o óleo.

• Lagoas do Capitão, Caiado e Paul – zonas de interessante paisagem.

• Mistérios de Santa Luzia, Prainha e S. João – formados pela lava de erupções vulcânicas, que se verificaram no mar e que se uniram à ilha, são zonas a incluir no seu roteiro.

• Furna de Frei Matias – perto da vila da Madalena, é um local de interesse.

• Santo Amaro - conhecida por ser uma terra onde a construção naval, teve grande importância. Ainda hoje funcionam aí alguns pequenos estaleiros navais. Visite também a Escola de Artesanato.

• Piedade – no parque Matos Souto, existem espécies vegetais raras.

• Miradouro da Terra Alta – situado na estrada que circunda a ilha pelo Norte, deste miradouro pode-se observar a Ilha de S. Jorge, assim como a paisagem que a riqueza florestal da Ilha do Pico nos oferece.

• Calheta do Nesquim, povoação com pequeno porto de pesca com grande tradição baleeira, foi neste local que se constituiu a primeira Armação Baleeira.

• Ribeiras - freguesia com porto de pesca, com grandes tradições na actividade piscatória, terra de bons marinheiros.

Cachalotes e lulas - Se tenciona observar baleias, nadar com golfinhos ou apenas está interressado em baleias e na vida existente nas profundezas do mar, visite a pequena vila de São João, a oriente das Lajes do Pico. Aqui encontrará um magnífico museu com toda a informação sobre o cachalote e a sua fonte de alimento, a lula. Quais as suas dimensões? Quanto anos vivem? De que se alimentam? Como comunicam e a que profundidade mergulham? Quais os seus segredos e de onde provém o seu poder?
Observe a sua arquitectura e percorra um modelo em tamanho real de um cachalote de grande dimensão; compare-o com o ser humano e descubra como os cientistas o estudam.
O Cachalote é a maior baleia dentada, mergulha a grandes profundidades, consegue suster o ar durante longos períodos, tem o maior cérebro, o nariz mais comprido e produz um som mais alto que qualquer ser vivo.
Veja um modelo em tamanho real da Lula Gigante, o maior animal, possuidor dos maiores olhos entre o reino animal, incluindo a baleia.
Os textos são em Inglês e Português, com resumos em Francês e Alemão. Construído por Malcom e Dorothy Clarke em 2004, o museu celebra as suas vidas dedicadas à pesquisa e ensino. Aberto das 10:00H até às 17:30H de Segunda a Sexta (fechado Sábado todo o dia e Domingo de manhã) de 1 de Maio a 15 de Outubro.

• Museu dos Baleeiros – situado nas Lajes do Pico, reúne peças em osso e dente de baleia, assim como diversos apetrechos utilizados na caça à baleia. Uma belíssima canoa baleeira, assim como a primeira lancha a motor que foi utilizada nesta actividade, fazem também parte do conteúdo deste museu.

COMO CONHECER A ILHA

Itinerário 1
Volta à Ilha – Para efectuar este percurso necessita iniciar a sua viagem de manhã e terminar ao fim da tarde. Se está alojado na Madalena, sugerimos que inicie a sua viagem pela costa norte, em direcção ao Cachorro, utilizando uma estrada em terra batida à beira mar, ladeada por urzes e incensos, ou estrada asfaltada passando por Biscoitos, Bandeiras; vire na estrada que dá acesso ao aeroporto, siga em frente até ao entroncamento com uma estrada de terra batida, vire à direita e siga para o Cachorro. Regresse pela mesma estrada em sentido inverso até ao entroncamento com a estrada de asfalto, vire à esquerda, siga em direcção a S. Roque, passando por Miragaia, Santa Luzia e Santo António.
Em S. Roque siga pela estrada junto à costa, apreciando a bela paisagem, desça a Santo Amaro, regresse pela mesma estrada até à estrada regional, vire à esquerda, pouco depois, pare no Miradouro da Terra Alta (vista deslumbrante), siga por Ribeirinha até Piedade, visite a zonas das adegas, desça até à beira mar, (pode adquirir artigos de olaria nesta zona), suba em sentido inverso, retome a estrada regional e delicie-se com a paisagem que a riqueza florestal desta zona lhe proporciona. Esteja atento ao desvio para Calheta do Nesquim, desça até esta simpática freguesia, suba pela mesma estrada até à estrada regional, siga em direcção a Lajes do Pico, passando por Ribeira Grande e Ribeira Seca, desça à freguesia de Ribeiras, volte pela mesma estrada e siga para Lajes do Pico. Antes pare nos miradouros que lhe proporcionam vistas fabulosas.
Em Lajes do Pico, típica vila baleeira, visite o museu dos baleeiros, tome contacto com o artesanato em dente e osso de baleia. Siga para Madalena, passando por Silveira, S. João, Terra do Pão, S. Caetano, S. Mateus, Guindaste; Candelária (visite a igreja Matriz), faça um pequeno desvio ao Porto Calhau, retorne a viagem passando por Monte Criação Velha, Areja Larga (visite a Adega Cooperativa (prove um bom vinho) e siga para vila da Madalena.
Para quem está alojado em Lajes do Pico pode optar por iniciar a viagem em direcção a S. Roque (sentido Leste) ou Madalena (sentido Oeste), Para quem está em S. Roque tem duas opção; ou inicia viagem em direcção a Madalena, (sentido Leste) ou em direcção a Lajes no sentido Oeste.

Itinerário 2
Percurso para uma manhã ou uma tarde.
Saída da Madalena em direcção a Lajes do Pico e desviar pela estrada que atravessa a ilha no sentido Oeste Leste. Esta estrada sobe para um altitude significativa.
Visite a Furna de Frei Matias, retome a estrada e siga em frente, seguidamente tem alguns quilómetros em linha recta, aprecie as magnificas vistas, visite a Lagoa do Capitão, volte à estrada, siga em direcção a Lajes, encontre o desvio para as Lagoas do Caiado e Paul, siga depois até Silveira, regressando a Madalena pela estrada do sul da Ilha, passando por S. João, S. Caetano, S. Mateus, Candelária, Monte e Criação Velha.

Itinerário 3
Percurso para uma manhã ou uma tarde.
Com início nas Lages, passe pelo sopé da montanha até à Furna de Frei Matias, continue no sentido de S. Roque do Pico pela estrada que atravessa a Ilha, disfrutando de vista magnifica sobre a costa norte do Pico e Ilha de S. Jorge, ou opte por seguir em direcção à Madalena, apreciando a vista sobre a vila da Madalena, ilhéus, e Ilha do Faial.

DIVERSÃO E CULTURA

Em Novembro, no Concelho da Madalena, decorre a Festa do Vinho e da Vinha, que se compõe de Seminários, Debates, com especial ênfase para a “Paisagem Protegida da Vinha”, e Animação Cultural.
As Festas de S. Roque do Pico realizam-se na última semana do mês de Julho com espectáculos musicais, actividades culturais, exposições, etc, que atraem a esta vila milhares de forasteiros.
Nas Lajes do Pico, na última semana de Agosto, decorre a semana dos baleeiros, com forte componente religiosa em honra de Nossa Senhora de Lurdes. Também durante essa semana, têm lugar espectáculos musicais, regatas de botes baleeiros, exposições e outras actividades culturais. Nesta época, as Lajes são visitadas por milhares de pessoas.
Também na vila baleeira se realiza, desde 1998, a bienal de Baleias dos Açores, onde se reúnem especialistas nacionais e estrangeiros, ligados à actividade de observação de baleias.
A 22 de Julho, a Madalena homenageia a sua padroeira com grandes festejos. Este acontecimento, assim como espectáculos musicais, e para atrair muita gente à vila da Madalena.
Na 2ª semana de Setembro realiza-se a “Festa das Vindimas”, diversas actividades são realizadas durante este período, com destaque para a regata “Rota do Verdelho”.


 





FESTAS TRADICIONAIS ASPECTOS ETNOGRÁFICOS
O Artesanato da Ilha do Pico é reconhecido internacionalmente. A caça à baleia, produziu a matéria prima para se desenvolver uma actividade artesanal riquíssima. Trabalhos em osso e dente de baleia, reproduzindo cenas e instrumentos da actividade baleeira, assim como outros temas, nomeadamente réplicas de botes baleeiros, são uma expressão artística de elevada qualidade. Peças esculpidas em madeira de cedro, trabalhos em ráfia, palha de trigo, escamas de peixe e bordados são outra faceta do artesanato picoense. O Pico possui artesãos de renome.
Na ilha do Pico há excelentes grupos folclóricos e interpretes de música popular. A Chamarrita, o Caracol, Larum-tam-tum, etc. São modas que antigamente eram bailadas em dias de festa.

"A Buraca" é um complexo de pedra basáltica que revive a história d povo do Pic, com saliência para o período áureo do "Verdelho" famoso que chegou às quatro partidas do mundo. Fica situada na freguseia de Santo António, Norte da ilha, nas Estrada Regional, a 2Km da Vila de S. Roque, a 8km do Aeroporto e a 17km da Vila da adalena. O visitante ter terá oportunidade de conhecer o hábitos e tradições dos picarotos, de apreciar e comprar o típico artesanato, fazer provas dos vinhos, aguardentes, Licores e pratos típicos da ilha e, ou por encomenda, fazer a degustação da saborosa carne ou do peixe fresco.



MONUMENTOS
As Igrejas são os principais monumentos desta ilha.

• Igreja de Santa Maria Madalena – a mais importante igreja da ilha, construída no Séc. XVII.

• Convento S. Pedro de Alcântara – Edifício do Séc. XVII com interior muito valioso.

• Ermida de S. Pedro – foi o primeiro templo a ser construído na ilha, data do primeiro quartel do Séc. XV, situa-se nas Lajes do Pico.

• Igreja Nossa Senhora da Conceição. Construída no Séc. XVIII

• Igreja de Santa Bárbara, nas Ribeiras, foi construída no Séc. XVII e reconstruída no Séc. XX.

• Igreja de S. Sebastião, na Calheta do Nesquim, construção do Séc. XIX no local onde existia uma capela do Séc. XVI.

PRATOS TÍPICOS / DOÇARIA / VINHOS
Peixe fresco, boa carne de vaca e bons mariscos, são matéria-prima para confeccionar deliciosas refeições. Os famosos caldos de peixe, linguiça e torresmos com inhames, molha de carne e polvo guisado são pratos a experimentar.
O queijo do Pico, como entrada ou sobremesa, acompanhado por pão ou bolo de milho caseiro. Na doçaria, o arroz doce, massa sovada e bolo véspera são especialidades desta terra.
Na doçaria, o arroz doce, massa sovada e bolo véspera são especialidades desta terra. Destaque para a marca Curral Atlantis que produz VCQPRD, imprimindo excelente qualidade aos seus produtos.
Os vinhos do Pico têm tradição. O VLQPRD, aperitivo, os vinhos de mesa, brancos, tintos, o vinho de cheiro, a angélica e as aguardentes do Pico, podem ser encontradas em qualquer restaurante ou supermercado. A Adega Cooperativa produz “VLQPRD”.

ZONAS BALNEARES
A piscina Municipal de Madalena, as piscinas naturais de Lajido, a Poça Branca e o antigo porto de S. Roque do Pico, a Baía de Canas, as Piscinas naturais de S. Roque do Pico são locais onde pode tomar um relaxante banho de mar.

MERGULHO
A Ilha do Pico oferece os melhores mergulhos dos Açores. Os ilheus ao largo do Pico, no canal do Faial, são conhecidos mundialmente como o ex-libris dos mergulhadores. As espécies de peixes mais frequentes são a Barracuda, o Bonito e o Atum, embora se possa também encontrar espécies locais como a Garoupa, Pargo e Bodião. As formações de Lava submarinas são espectaculares, com cavernas, tuneis e arcadas. A altura do ano mais apreciada para mergulho é a chegada das arraias no mês de Junho. No Pico existe apenas um centro de mergulho, situado na Madalena.

NADAR COM GOLFINHOS
Os golfinhos são as crianças do mar. Eles adoram nadar e mergulhar em frente e ao lado dos barcos, o que constitui uma experiência fantástica para os observadores.
Nos últimos anos, as empresas de observação de baleias do Pico incluiram no seu programa a possibilidade de nadar com os golfinhos e observá-los debaixo de água.
No total, podem ser observadas cinco espécies diferentes, mas também se pode encontrar tartarugas, peixe sol e raias manta.

PESCA DESPORTIVA
O pescador desportivo pode aqui efectuar boas capturas de sargos, taínhas, vejas, garoupas, bodiões, pargos, anchovas, bicudas, serras, etc.
De barco, há a possibilidade de capturar espadins, atuns, tubarões, espadartes, etc, assim como algumas espécies de fundo, com o cherne ou o goraz. Procure a ajuda de empresas especializadas que, neste Guia, divulgam os seus serviços.

OBSERVAÇÃO DE BALEIAS
A Ilha do Pico é o ponto de encontro dos Cetáceos no Atlântico. A cadeia alimentar rica atrai variadas espécies durante todo o ano, tendo já sido avistadas 24 diferentes.
Os cachalotes estão presente durante todo o ano, ao passo que as grandes baleias de barbatana passam pela região entre Abril e Junho. Um encontro com a baleia Azul, o maior animal existente na terra, é de tirar a respiração. Em todas as viagens de observação marítima é possivel encontrar golfinhos.
Na Madalena e nas Lajes do Pico existem diversos operadores desta actividade.

IATISMO
Para os amantes de passeio em "yatch" à vela, com todas as comodidades e segurança, a Yatchaçor oferece-lhe serviços de alta qualidade.

CAÇA
Coelhos em grande número, galinholas, pombos e codornizes são espécies que pode encontrar nesta ilha. Informe-se sobre as épocas de caça junto do Serviço Florestal do Pico. Tel 292642316.

MINI GOLFE
Na Candelária, em local com deslumbrante vista panorâmica, entre a natureza, pode praticar Mini-Golf.

PASSEIOS A PÉ
Esta ilha possui trilhos de rara beleza. Há publicações da especialidade que lhe sugerem os melhores percursos. Informe-se no local onde está alojado. não existem animais selvagens perigosos nem cobras.

CAÇA SUBMARINA
Lírios, anchovas, bicudas, vejas, serras, garoupas, etc, são espécies abundantes. Há rigorosa fiscalização desta actividade. Informe-se junto das autoridades marítimas, sobre os regulamentos desta actividade.

 

Webdevelopment Via Oceânica, Lda.